Whatsapp

Viva Melhor


   




Moção de solidariedade às lutas dos trabalhadores na Venezuela e de repúdio à perseguição aos companheiros lutadores



Data: 30/11/2018

Moção de solidariedade às lutas dos trabalhadores na Venezuela e de repúdio à perseguição aos companheiros lutadores

A crise brutal no país, alimentada pela hiperinflação, fez com que os companheiros da enfermagem há mais de 150 dias se colocassem na vanguarda da luta por um salário digno, com indexação de salários e direito à cesta básica. Esta luta despertou a solidariedade de outros profissionais de saúde e dos trabalhadores da universidade.

Diante da crise o governo Maduro tem adotado uma série de medidas contra os trabalhadores e o povo pobre, que reagem e lutam contra esses ataques.
 
O governo tem respondido com repressão aos principais líderes e as várias manifestações, inclusive se utilizando de tiros de armas de fogo contra os trabalhadores mobilizados, como foi o caso das indústrias de base. A polícia de Maduro tem realizado muitas prisões temporárias, demitido e apoiado demissões daqueles que se opõem aos planos de fome e miséria do governo e dos patrões.

Um desses casos foi o líder sindicalista de cimento, Luis Chaparro, sequestrado e ameaçado durante horas pelo Serviço de Inteligência Bolivariano (SEBIN).

Outro caso emblemático é o da representante sindical do Metrô de Caracas, Deillily Rodriguez, que foi demitida arbitrariamente pela administração da empresa porque denunciou a empresa por não cumprir uma série de exigências do Ministério do Trabalho e mobilizou os trabalhadores para protestarem contra essa situação. A demissão de Deillily também foi motivada por denunciar para a imprensa a situação deplorável da prestação do serviço do Metro, além da burocracia e corrupção que tomam conta da administração com a complacência dos burocratas dos sindicatos.

Outros 60 camaradas também foram demitidos. A demissão desta empresa despertou uma campanha nacional de solidariedade pela sua readmissão, contando inclusive com muitos pronunciamentos internacionais.

A Central Sindical e Popular CSP-Conlutas e seus sindicatos, movimentos e delegados reunidos na reunião de Coordenação Nacional da Central em 23, 24 e 25 de novembro de 2018 manifestam seu total apoio e solidariedade a luta dos trabalhadores venezuelanos e repudiam firmemente a repressão, a perseguição e as demissões praticadas pelo governo Maduro e pelos patrões.

Exigimos o fim às demissões e à perseguição contra dirigentes e ativistas lutadores

Exigimos o fim das detenções de líderes e ativistas combatentes

Exigimos a readmissão imediata da companheira Deillily Rodriguez


Moção aprovada na reunião da Coordenação Nacional da CSP-Conlutas de 23 a 25 de novembro de 2018

Fonte: CSP-Conlutas


Galeria de Fotos
 




energia solar manaus

Manaus/Amazonas

energia verde

CENTRAL DE ATENDIMENTO:


aduasindicato@gmail.com

ADUA DIGITAL