Whatsapp

Viva Melhor


   




Servidores, juízes e advogados realizam ato em defesa da Justiça do Trabalho



Data: 22/01/2019

Cerca de 3 mil servidores públicos, magistrados e advogados ocuparam a Avenida Marquês de São Vicente, em frente ao Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, em São Paulo, no ato unitário em defesa da Justiça do Trabalho nesta segunda-feira (21). A manifestação foi convocada em resposta às declarações do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de que pretende enviar ao Congresso Nacional uma proposta para acabar com essa área do Judiciário.

O evento foi organizado numa parceria entre o Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Estado de São Paulo (Sintrajud), a Associação dos Advogados Trabalhistas de São Paulo (
AATSP) e a Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 2ª Região (AMATRA-2), e teve a participação de mais de 30 entidades.

O ato é parte do recém-criado Movimento em Defesa da Justiça do Trabalho (MDJT) e foi articulado para rebater as fake news como a que afirma que o Brasil é um dos únicos países do mundo com uma justiça especializada na resolução de conflitos trabalhistas. “O governo Bolsonaro está cercado de pessoas que querem a extinção da Justiça do Trabalho, precisamos levar informação para população do que é verdade deste ramo da justiça e desmentir informações falsas”, Farley Ferreira, juiz do Trabalho e presidente da AMATRA-2.

Durante o ato, os manifestantes destacaram o papel histórico da Justiça do Trabalho na garantia do direito dos trabalhadores. “Estamos aqui com milhares de servidores, advogados e juízes juntos para resistir a mais este ataque, o que está em jogo aqui é o direito do trabalhador: férias, décimo terceiro, jornada de oito horas. Quando o presidente ataca a Justiça Trabalhista, na verdade, quer atacar estes direitos”, afirmou Henrique Sales Costa, servidor do TRT-2 e diretor do Sintrajud. Foi ressaltado ainda pelo diretor do Sindicato como a ‘reforma’ trabalhista imposta pelo governo Temer no ano passado com o voto favorável do presidente eleito, ainda como deputado federal, é parte desta política de ataque aos direitos dos trabalhadores como um todo. O Sintrajud defende a revogação da Lei 13.467/2017, e levou esta reivindicação para o ato.

Para encerrar a manifestação, a presidente da AATSP, Sarah Hakim, leu o manifesto do Movimento Em Defesa da Justiça do Trabalho (MDJT), e foram lançados balões azuis aos céus. O ato foi encerrado com os servidores, juízes e advogados de mãos dadas em frente ao prédio do Fórum (foto acima), para simbolizar que a luta em defesa deste ramo da justiça está apenas começando.

Manifestação nacional

Além de São Paulo e da Baixada Santista (onde o Sintrajud também foi um dos articuladores do ato ocorrido na cidade de Santos), aconteceram manifestações também em pelos menos outros nove Estados, entre eles Ceará, Pará e Rio Grande do Sul  com a participação da Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas).  “De norte a sul do país, estão acontecendo atos unificados para defender nossos direitos e impedir que o retrocesso eleitoral venha conformar-se em retrocesso de direitos”, destacou Adilson Rodrigues, coordenador da Fenajufe.

Nesta terça-feira (22) a seccional São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil realiza uma audiência pública, na sede da entidade, localizada na Rua Maria Paula, 35 – Centro. No dia 5 de fevereiro, já está marcada uma manifestação nacional em Brasília em defesa da Justiça Trabalhista. O Sintrajud estará presente às duas iniciativas.

Fonte: CSP-Conlutas


Galeria de Fotos
 




energia solar manaus

Manaus/Amazonas

energia verde

CENTRAL DE ATENDIMENTO:


aduasindicato@gmail.com

ADUA DIGITAL