Whatsapp

Viva Melhor


   


  19/08/2013 - por



Carta Aberta pela suspensão imediata do despejo das famílias camponesas da Comunidade Vitória/Cachoeirinha – MG



Montes Claros, agosto de 2013.
 
O Comitê de Apoio a Luta pela Terra em Montes Claros está organizando uma campanha de apoio político e solidariedade às trinta famílias camponesas da Comunidade Vitória, em Verdelândia. Inúmeros movimentos populares, personalidade e entidades democráticas, como o Movimento Estudantil Popular Revolucionário, o Centro Acadêmico dos Estudantes de Pedagogia e o Diretório Central dos Estudantes da Unimontes, estão unidos em torno da defesa do direito das trinta famílias camponesas que vivem na comunidade Vitória, no município de Verdelândia, antiga Cachoeirinha, de permanecerem nas terras que são suas por direito e exigimos a suspensão imediata da absurda ordem de despejo contra as famílias camponesas, emitida pelo juiz Octávio de Almeida Neves, da Vara Agrária de Minas Gerais.

Estas famílias, organizadas pela Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Bahia, há treze anos, ocuparam a antiga Fazenda Ypiranga, retomando parte de suas terras ancestrais, de onde haviam sido expulsas, no trágico episódio do Massacre de Cachoeirinha, ocorrido no ano de 1967, quando uma operação do 10° Batalhão da PM, comandada pelo Coronel Georgino Jorge de Souza, resultou na tortura e assassinato de dezenas de camponeses pobres, inclusive crianças.

O direito a posse das famílias camponesas da Comunidade Vitória é uma questão de justiça histórica! Essas famílias, remanescentes do Massacre de Cachoeirinha,  vivem há treze anos nessas terras e construíram toda uma vida no local. Os camponeses vivem em casas de alvenaria, possuem água encanada, energia elétrica, estradas, pastos e toda a espécie de benfeitorias. As famílias produzem carne, leite e outros mantimentos que abastecem Verdelândia e outros municípios vizinhos.

Exigimos a suspensão imediata da ordem de despejo e que seja respeitado o titulo de posse entregue às famílias pelo Instituto de Terras – ITER e responsabilizamos o estado brasileiro e a Vara Agrária de Minas Gerais na pessoa do juiz Octávio de Almeida Neves por qualquer forma de violência que venha ocorrer contra as famílias camponesas em função da absurda ordem de despejo contra as famílias camponesas da Comunidade Vitória.

No dia 09/08 uma comissão formada por representantes da comunidade Vitória e seus apoiadores visitaram a Unimontes – Universidade de Montes Claros, denunciando para centenas de estudantes e professores a gravíssima situação de conflito na localidade.

Publicamos Carta Aberta em apoio às famílias e estão sendo organizadas outras ações como atos públicos e visitas a comunidade envolvendo autoridades, advogados, professores, estudantes, entidades de classe, movimentos populares, associações comunitárias, artistas populares, personalidades democráticas e demais apoiadores no Norte de Minas e outras regiões do país.
Conclamamos todos a se somarem na luta em defesa das famílias camponesas da comunidade Vitória, ampliando a denúncia, assinando a Carta Aberta e/ou fazendo contato por meio dos seguintes telefones e endereços eletrônicos, exigindo a suspensão imediata do despejo na Comunidade Vitória:

Desembargador Gercino José da Silva Filho - Ouvidor Agrário Nacional:
gercino.filho@mda.gov.br

Instituto de Terras – ITER - comunicacao@iter.mg.gov.br

Vara Agrária de Minas Gerais: (31) 3330-2362 / 3330-2250 fax: 3330-2250

Ministério Público de Minas Gerais (MPMG): (31)3330-8409  e  (31)3330-9504



Galeria de Fotos
 




energia solar manaus

Manaus/Amazonas

energia verde

CENTRAL DE ATENDIMENTO:


aduasindicato@gmail.com

ADUA DIGITAL