Whatsapp

Viva Melhor


   


  00/00/0000 - por



Em nome do "progresso da ciência"




Clayton Nobre

Universidade corta árvores em prol da reunião da SBPC


“Absurdo!”, “inconcebível!”, “um ato criminoso!”. Estas são expressões que alguns professores manifestaram ao chegar à área do estacionamento do Instituto de Ciências Humanas e Letras da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) na manhã chuvosa do dia 12 de junho (diga-se de passagem que todo o Campus estava sem energia elétrica e água, apesar da chuva que caía). Toda a área do estacionamento desse Instituto, das Faculdades de Educação e de Direito estava interditada para serem iniciados os preparativos de instalação das tendas que abrigarão exposições da reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). O evento ocorre em Manaus este ano.

Mas esse não foi o motivo de tal indignação, pois que não caberia em se tratando de um evento que promove o progresso da ciência em nosso país. A questão é que foram cortadas as árvores plantadas pela própria administração e que compunham o centro do canteiro do estacionamento. A indiscutível necessidade de arborização do estacionamento foi deixada de lado e, a pretexto de a SBPC precisar de uma grande área, se deixa descampado aquele espaço. Ou seja, há alguma coisa errada nisto tudo. Ou a administração da Ufam entende que há muitas árvores no Campus Universitário e que “algumas a menos não modificarão o cenário” (mas aí não se “justificaria” o plantio na gestão passada) ou o conceito de ciência foi alterado.

Como é possível um evento que visa discutir formas do progresso da ciência tenha necessidade de eliminar árvores plantadas? Será que iremos participar de palestras, mesas-redondas e painéis sobre a necessidade da preservação do meio ambiente, da fauna e flora amazônicas e dos recursos naturais com essa necessidade prévia de eliminar árvores plantadas? Não há justificativas para tal desmando administrativo e ausência de tato político, pois existe área suficiente grande para as tendas sem que houvesse necessidade dos cortes. É preciso denunciar essa contradição para além das frases e palavras de indignação. A comunidade acadêmica da Ufam deve dizer um basta a essas ações criminosas que estão acontecendo entre a noite e o dia! (neste caso, num feriado).



Galeria de Fotos
 




energia solar manaus

Manaus/Amazonas

energia verde

CENTRAL DE ATENDIMENTO:


aduasindicato@gmail.com

ADUA DIGITAL