Links Úteis
 
 
 
 
 
 
Cartilha explica Plano de Demissão Voluntária para servidores federais
Data: 13/09/2017

Uma cartilha sobre Plano de Desligamento Voluntário (PDV), proposto pelo presidente ilegítimo Michel Temer, está disponível para download. O Material foi elaborado pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe).  Publicada no Diário Oficial da União (DOU), no dia 27 de julho deste ano, a Medida Provisória (MP) nº 792/17 tem como objetivo demitir 5 mil servidores públicos federais do Poder Executivo.

Os trabalhadores que aceitarem o desligamento vão receber 1,25 salário para cada ano trabalhado. Por exemplo, um servidor que tenha remuneração de R$ 5 mil por mês, caso resolva aderir ao plano de demissão voluntária, vai receber mais R$ 6,2 mil por cada ano de serviço prestado. Outra proposta é a licença incentivada em pecúnia sem remuneração. Neste caso, o servidor tira uma licença não remunerada de três anos, que pode ser prorrogável por igual período, e recebe, no momento da suspensão das atividades, um valor correspondente a três vezes seu salário. É proibida a interrupção da licença.

O Programa também prevê a redução da jornada de 8 horas diárias e 40 semanais para 6 ou 4 horas diárias e 30 ou 20 horas semanais, respectivamente, com redução proporcional do salário, calculada sobre o total da remuneração. Como incentivo à diminuição da jornada e do salário, o governo oferece o pagamento adicional correspondente a meia hora diária. Os funcionários públicos que optarem por uma jornada reduzida poderão ter outro emprego no setor privado, desde que não haja conflito de interesses entre as duas atividades.

A presidente do ANDES-SN, Eblin Farage, explicou que o PDV faz parte um conjunto de medidas que visam o total desmonte dos serviços púbicos no país, como exemplo, a Emenda Constitucional (EC) 95, que congela gastos públicos por 20 anos, para manter o pagamento de juros e amortizações da dívida ao sistema financeiro e aumentar a arrecadação da União. “Esse conjunto de medidas, que o governo vem intensificando, tem como foco central a diminuição de políticas públicas para diminuir os gastos e se adequar à EC 95. E, uma dessas formas, é diminuir o número de servidores públicos. Se o contingente que o governo espera de adesão do PDV se concretizar, as nossas políticas públicas estarão condenadas para o segundo semestre de 2017”, alerta Farage, que antecipa que o PDV, certamente, se replicará nos Estados e Municípios.

Confira a cartilha aqui.

Fonte: ADUA com informações do ANDES
Compartilhe com seus amigos:
Twittar Compartilhar
 
Comentários
 
Deixe seu comentário aqui:
 
Nome: 
Email (não será divulgado): 
Comentário (sujeito a moderação): 

Av. General Rodrigo Otávio, 3000, Campus Universitário, Coroado.
CEP 69080-005 Manaus, AM. Fone/Fax (92) 3088-7009 / 3305-4103.
E-mail: aduasindicato@gmail.com [Ver Mapa de Localização]